O Monstro

Publié le par Boca de Praga

Neste tempo de adversidade, nesta grande guerra que estou a travar contra um exército de milhares não posso fraquejar. E ainda que esteja eu só nas batalhas diárias, tenho que vençer. Luto sozinho por mim e meus anceios por vezes contra todos a meu redor.

 

Seguro firme duas espadas nas mãos destro em ambas, trezentos derrubo com a direita e pela minha esquerda caem quatrocentos. Em mim soltam leões, ferozmente sou atacado no limite de minhas forças os desosso com meus braços.

 

Por fim numa ultima investida contra mim na falha tentativa de matar-me, Soltam os dragões:

Tolos são em fazer isso, "como querem destruir com fogo quem do fogo foi criado"...

Commenter cet article