Quem sou eu

Publié le par Velho e Ferido Lobo Solitário

Nunca desejei tanto a morte, como hoje desejo. Nunca antes fui tão infeliz, como hoje o sou.

Na solidão da vida eu pude perceber o quanto estou velho, e o quanto minha face é horrenda, os anos passam para mim mais do que para qualquer um.

Meus atos levianos destruiram meu semblante, fazendo do moço, velho e do homem um monstro.


Por dentro estou traumatizado, tal qual um pombo que ao ser acertado pela pedra, voa mesmo com sua asa ferida, por mais que eu tente esconder e muito mais me esforçe para ser agradavel,

Minha presença é desagradavel e eu um ser horripilante.


Todas as minhas palavras são tolas e as pessoas se escandalizam quando eu as profiro,

Isso é o que me tornei, é isto que hoje eu sou: um Monstro desprezivel.

Pour être informé des derniers articles, inscrivez vous :

Commenter cet article