Soneto a minha dor

Publié le par Velho e Ferido Lobo Solitário

Malditos sejam meus olhos, por terem visto a cena que ao meu coração foi dolorosa, triste e deprimente.
Porém a minha mente foi correta e proveitosa. Sobretudo ainda mais maldita seja a minha boca por ter proferido palavras de aprovação e motivação ao ser questionado sobre o tal.



Naquele momento de profunda dor e lenta agonia, estava eu só, meu fiel escudeiro tinha se afastado afim de resolver os seus pesares...
Pelo que estando eu só a padeçer ouvindo palavras duras que em minha cabeça pesavam como pedra, e ainda dizendo palavras que embora deveria dizer, não queria pois muito me feriam.


Tive pois que com forças que nao tinha, superar com bom siso, a dor de meu coração aflito. Paguei a pena, sofri da dor, calado como uma ovelha que vai ao matadouro e depois que tudo passou recolhi me a minha camara oculta onde lá me derramei em prantos e soluços...


Minhas lagrimas eram como a corrente de muitas águas agitadas por uma dor tão profunda quanto as fossas do pacifico, meu coração se espremia em meu peito pela aflição que lhe era causada, a noite deste dia mal está entre as mais obscuras de toda a minha miseravel vida...

Commenter cet article