Relatório noturno e conclusão

Publié le par Velho e Ferido Lobo Solitário

Em toda a minha miserável vida não houve noite mais escura, obscura e triste do que essa. Essa foi a noite mais longa da minha vida, as horas demoravam a se passar, a lua estava sem pressa alguma.

E eu chorando agonizadamente, entre prantos e soluços, gemidos inexpremíveis, minha vontade era de chorar mais alto, e gritar mais alto ainda, até que se esgotasse a minha voz.


Há muito o relógio já havia passado da meia noite, e minha agonia prosseguia, e aumentou ainda mais já perto da hora terceira também chamada de hora do ultimo suspiro, (e eu desejei que assim o fosse, porem não o foi). E nessa hora a culpa pesou sobre minha consciência, o sangue de inocentes manchava minhas mãos, e um sangue podre de uma raça de monstros corria por minhas veias.


As almas inocentes que condenei, clamavam por mim no inferno amaldiçoando me de toda a sorte de maldições tenebrosas. Sofri ainda mais e já não tinha voz para gritar... Pelo que estando já perto de clarear o dia, clareou se também a minha mente mudando de pensamentos.

 

Estou agora a pensar em minha amada... No quanto ela é formosa, e a mais sábia entre as donzelas, e começo então a sentir saudades... (Palavra tão dolorosa). Saudades de sua voz macia (mesmo estando brava), saudade de seu cheiro, (seu cheiro é doce como o de um romã fatiado ao meio e coberto de mel).

 

Saudades de suas repreensões quando começo a dizer coisas ilícitas, e principalmente saudades da Bela a única bela e a mais bela de todas elas... a única bela do universo capaz de acalmar essa temida, desprezível e terrível Fera. 



Commenter cet article